Tag Archives: Santiago Maldonado

Viña del Mar, Valparaíso. Bloqueio de via no Canal Chacal

via CONTRAINFO

tradução por TDF

13/09/2017

https://es-contrainfo.espivblogs.net/files/2017/09/01-2.jpg

Tanto a democracia como a ditadura assassinam, reprimem e desaparecem a todxs aquelxs que se colocam de pé em luta e resistência contra o avanço da devastação capitalista através dos diferentes territórios.

Já se completa um ano do assassinato de MACARENA VALDES nas mãos de sicários da empresa RP Global, por enfrentar a instalação de uma central hidelétrica no terreno de Tranguil, também já se completa 12 anos do desaparecimento de OSE HUENANTE nas mãos da polícia bastarda na região de Puerto Montt.

Já se passa quase mais de um mês do desaparecimento de SANTIAGO MALDONADO nas mãos do estado argentino, por solidarizar com a luta de resistência Mapuche, nossa resposta é clara, NÃO DAREMOS O OUTRO LADO DO ROSTO FRENTE A VIOLÊNCIA COTIDIANA DE SOFREM NOSSXS COMPAS DE LUTA, NOS LEVANTAMOS E QUEBRAMOS A PASSIVIDADE DA ROTINA CIDADÃ COMO UM GESTO DE MEMÓRIA E AÇÃO SOLIDÁRIA COM TODAS AS LUTAS QUE SE LEVANTAM EM RESISTÊNCIA E OFENSIVA PELA LIBERTAÇÃO DA TERRA E DEFESA DOS TERRITÓRIOS.

SOLIDARIEDADE COM XS PRESXS MAPUCHES DO CASO IGLESIAS QUE ESTÃO HÁ MAIS DE 90 DIAS EM GREVE DE FOME, A TODXS QUE FORAM CONDENADXS NO CASO LUCHSINGER-MACKAY, E COM TODXS XS PRESXS SUBVERSIVXS AO REDOR DO MUNDO.

CLAUDIA LOPEZ, MACARENA VALDES E TODXS XS CAÍDXS, SEMPRE PRESENTES!

https://es-contrainfo.espivblogs.net/files/2017/09/02-2.jpg

 

 

Faixa pendurada no prédio EKH

via CONTRAINFO

tradução Tormentas de Fogo

“Uma faixa foi pendurada ao lado de fora do EKH (centro autônomo e projeto de convivência) em Viena, Austria, em solidariedade à Santiago Maldonado.

https://en-contrainfo.espivblogs.net/files/2017/09/asdf.jpg

SOLIDARIEDADE É UMA ARMA!”

 

Banner drop outside EKH

via CONTRAINFO

“There was a banner dropped outside the EKH (autonomous center and living project) in Vienna (Austria) in solidarity with Santiago Maldonado.

SOLIDARITY IS A WEAPON!”

“DISTRUGGERE L’ARGENTINA!”

traduzione da ANARHIJA:

Queste non sono solo parole: abbiamo raggiunto il “livello” di azione diretta e loro raccontano menzogne su di noi perché ci temono. Non tutto quello che succede colpisce i giornali del sistema! E neanche i nostri! E tutto avviene molto velocemente, compagni. Vertigine rivoluzionaria, che scuote il cuore: è ciò che volevamo, e infine lo abbiamo ottenuto. Non lusinghiamoci. Come i nostri meravigliosi compagni di Portogallo ci avvertirono, siate intelligenti: né “anarchismo libraio” né “punk auto-distruttivo”, va bene? Noi non ci inventiamo nulla. Abbiamo conosciuto el Lechu, ed è meglio che ci ascoltino bene quelli che oggi lo rivendicano come una figura pubblica… Lui è, sottolineiamo, uno di noi: ANARCHICO! Nemico dello Stato, del capitale e della merdosa “pace sociale” di coloro (… e che il fulmine possa cadere sulle teste di quelli che lo chiamano “tossico ayahuasca” [bevanda psicoattiva, ndt]) che adesso frignano per la sua scomparsa facendo politica con i nostri ideali. Noi non siamo degli “infiltrati”, come quei complici dello spettacolo che starnazzano ogni volta quando si infiamma la passione della rivolta anarchica.

Il 31 agosto è stato bruciato l’edificio di GEOF… l’edificio del Gruppo Speciale di Operazioni Speciali della Polizia Federale “anti-terrorismo” nel mezzo del quartiere borghese di Palermo… pieno centro di Buenos Aires, e i media merdosi non ne hanno parlato; hanno fatto la stessa cosa con tanti attacchi che, non li passa neanche per la testa, potrebbero colpire le loro strutture di potere.

Dopo la manifestazione di 1° settembre, il 35° battaglione della Gendarmeria è stato quasi bruciato con le molotov (erano anche loro “infiltrati”?).

A La Plata abbiamo bruciato una parte del senato, e poi c’è stato un attacco al ministero di sicurezza, con un gendarme ferito e macchine bruciate, senza arresti.

Dopo la manifestazione a Buonos Aires, dove sono state arrestate 31 persone, senza esserci nemmeno stati sulle barricate dell’Avenida de Mayo i media hanno nuovamente detto che tutto era calmo finché circa venti incappucciati non hanno attaccato l’edificio governativo, quasi dando fuoco ai suoi sporchi uffici.

Ma non è finito qui: il commissariato di gendarmeria è stato distrutto in un’azione coordinata di grande rischio e grande coraggio…

Non possiamo mancare di nominare la repressione a Cordoba! Gli ufficiali di polizia sono entrati in vari spazi sociali (informazioni su questo circolano in rete), nella capitale di provincia, sequestrando batterie e striscioni. Il giornale fascista “La Nación” adesso mira all’ex FLA (Federazione libertaria argentina), che adesso è diventata un centro culturale anarchico, stiamo all’erta… Se toccano un anarchico, toccano tutti gli anarchici, e anche se la repressione diventa più forte, noi trasformeremo i loro peggiori in incubi in realtà.

Ringraziamo CONTRAINFO per il loro lavoro e anche tutti quelli che (ovunque) sostengono la nostra lotta fino alla morte di tutta l’autorità.

Movimento Anarchico Cosmico Informale

SANTIAGO SEMPRE PRESENTE, GUERRA ALLO STATO ASSASSINO. NON CI ARRENDEREMO MAI. DISTRUGGEREMO IL VOSTRO SISTEMA!!! E CHE LA PAURA SI DISSOLVA: ANARCHIA, ANARCHIA ADESSO!!!

“DESTROY ARGENTINA!”

via CONTRAINFO

“Those are not just words: we reached the “level” of direct action and they lie about us because they fear us. Not everything that happens hits the system’s newspapers! Even ours! And everything runs really fast, comrades. Revolutionary vertigo, which shakes up the heart: it was what we wanted and finally what we’ve got. Let’s not flatter ourselves. As our beutiful comrades from Portugal warn us, let’s be intelligent: neither “library anarchism” nor “self destructive punk”, fine? We don’t make up anything. We met el Lechu and better listen to us very well those who now claim he is a public figure… He is, to say, one of us: ANARCHIST! Enemy of the state, the capital and the shitty “social peace” of those who now (…and may a lightning fall in the head of those who call him “ayahuasca junkie”) whip his missing doing politics with our ideals. We are not “infiltrated”, as those people conniving with the spectacle cluck every time it burns passion for the anarchic revolt.

In August 31, the building of GEOF was torched… the “anti terrorist” Federal Operations Special Group building in the middle of the burgeosie neighborhood of Palermo… plenty Buenos Aires downtown, and the shitty media has hidden; they did the same thing with a lot of offensives that, did not even go through their heads, could strike their power structures.

GEOF building

After the demonstration, on September 1, the 35th Gendarmerie battalion was almost torched with Molotovs (were they “infiltrated”, too?).

In La Plata, we torched a part of the senate, and then there was an attack on the security ministry, with a wounded gendarme and burned cars, with no arrests.

After the demo in Buenos Aires, where 31 people were arrested, without even being at the barricade of Avenida de Mayo, the media again said that everything was calm until about twenty hooded ones attacked the government building and were, by little, near to burn his filthy office.

It did not end there: the headquarters of the gendarmerie were destroyed in a coordinated action of great risk and great bravery…

We can not fail to mention the repression in Cordoba! Police officers entered several anarchist spaces (information about that are circulating in the networks), in the provincial capital, and took drums and banners. The fascist newspaper “La Nación” now aims at the former FLA (Argentinean anarchist federation), which has now become an anarchist cultural center, let us stay alert … If they touch one @, they touch all @ and even if the repression become stronger, we will make their worst nightmares turn into reality.

We thank the CONTRAINFO for its work and also to all those who (everywhere) support our struggle until death against all authority.

Anarchic Kosmic Informal Movement

SANTIAGO ALWAYS PRESENT, WAR AGAINST THE KILLER STATE. WE WILL NEVER GIVE UP. WE WILL DESTROY YOUR SYSTEM!!! AND MAY THE FEAR DISSOLVE: ANARCHY, ANARCHY NOW ON!!!

 

“DESTRUIR A ARGENTINA!”

via CONTRAINFO :

“Essas não são apenas “palavras”: passamos à “fase” da ação direta e mentem sobre nós porque somos temidxs. Nem tudo o que acontece se vê nos jornais do sistema! Nem nos nossos tampouco! E tudo corre muito rápido, compas. Vertigo revolucionário, que sacode o coração: era o que queríamos e, finalmente, o que temos. Não vamos nos bajular loucamente. Como bem advertem xs lindxs cúmplices de Portugal, sejamos inteligentes: nem “anarquismo de bibliotecas”, nem “punkeragem autodestrutiva”, certo? Não inventamos nada. Somos a galera que conheceu el Lechu e que nos escutem bem, essas pessoas que, agora, o reivindicam como figura pública. Ele é, como dizem, um dxs nossxs: ANARQUISTA! Inimigo do Estado, do capital e da merda de “paz social” dessas pessoas que agora (…que caia um raio na cabeça de quem o chama de “ayahuasquero”) ficam aí choramingando, fazendo politicagem com nosss ideais. Não somos “infiltradxs”, como os cúmplices do espetáculo cacarejam toda vez que a paixão pela revolta anárquica arde.

No dia 31 de Agosto, o edifício do GEOF ardeu em chamas… Grupo Especial de Operação Federal “antiterrorista” em pleno bairro burguês de Palermo… em pleno centro de Buenos Aires, e a mídia de merda ocultou; fizeram a mesma coisa com muitas ofensivas que, sequer passaram por suas cabeças, puderam golpear seus centros de poder.

Sede central do grupo GEOF da Argentina.

Após a manifestação, no dia 1 de setembro, o 35o batalhão da Gendarmeria quase foi incendiado com molotovs (eram “infiltradxs”, também?).

Em La Plata, queimamos uma parte do senado e, na sequência, houve um atentado no ministério de segurança, com um gendarme ferido e carros queimados, sem detidxs.

Depois do ato em Buenos Aires, onde 31 pessoas foram detidas, sem sequer estar na barricada da Avenida de Mayo, a mídia voltou a dizer que tudo estava calmo até que uns vinte encapuçados avançaram no palácio do governo e estiveram, por pouco, perto de incendiar sua sede imunda.

Não acabou por aí: a sede da gendarmeria foi destroçada numa ação coordenada de muito risco e muita valentia.

Não dá para deixar de mencionar a repressão em Córdoba! Policiais entraram em vários espaços anarquistas (informações sobre isso estão circulando nas redes), na capital da província, e levaram bumbos e faixas. O jornal fascista “La Nación” agora mesmo mira a ex FLA (federação anarquista argentina), hoje convertida em Ateneu Anarquista, estejamos alerta… Se tocam a umx, tocam a todxs e, mesmo que a repressão avance nós tornaremos realidade seus piores pesadelos.

Agradecemos à CONTRAINFO por seu trabalho e também à todxs que (em todas as partes) apoiam nossa luta até a morte contra toda autoridade.

M@K(I) Movimento Anárquico Kósmico Informal

SANTIAGO PRESENTE SEMPRE, GUERRA AO ESTADO ASSASSINO. NÃO DESISTIREMOS JAMAIS. VAMOS DESTRUIR SEU SISTEMA!!! E QUE O MEDO SE DISSOLVA: ANARQUIA, ANARQUIA AGORA!

Lettera del prigioniero anarchico Marcelo Villarroel Sepúlveda

traduzione da ANARHIJA:

Questo è una lettera del prigioniero anarchico Marcelo Villarroel sul caso del compagno anarchico Santiago Maldonado, ancora assente. È anche una chiamata all’azione. Le sue parole sono benvenute!!! Fuoco alle prigioni!!! Vogliamo il nostro compango Santiago Maldonado vivo adesso!!!

Lotta contro tutte le carceri, l’amnesia e la passività codarda!!!

https://i.pinimg.com/564x/bf/a4/59/bfa45916744bd46e584e37ece7cb27f6.jpg

Queste parole nascono e diventano necessarie nel momento quando è necessario abbracciare tutti coloro che si danno senza riserve quando cercano l’incontro con la liberazione totale.

Per l’espansione della rivolta, per l’inequivocabile confronto con il potere, per l’estensione di pratiche autonome nel rifiuto del dominio e di tutto ciò che rende possibile la sua esistenza.

Mentre scrivo, sono guidato dal disprezzo e dalla rabbia… Mentre ogni persona comprende la propria vita, c’è un caro amico che manca…

SANTIAGO MALDONADO – el “Lechu”, el “Brujo”, scomparso. E io non posso rimanere in silenzio o ignorare la sua assenza fisica.

Da quando abbiamo dovuto vivere il carcere nella regione dominata dallo Stato argentino, i nostri passi si sono incrociati. C’eravamo noi, i prigionieri nella provincia di Newken, e c’era Santiago, nella cità di La Plata, accanto ad universo di compagni attivi, condividendo complicità e rimanendo solidale…

Sono trascorsi più di nove anni da quando i nostri passi si sono incrociati sul tragitto continuo di fratellanza, questo tragitto che ci ha portato entrambi dalla stessa parte della trincea.

Perché dobbiamo dirlo chiaramente: Siamo in guerra contro l’oppressione e la miseria! Contro tutte le polizie, Stati, paesi e codardi che adeguano i propri discorsi e vite per renderli innocui e integrati.

Non possiamo dimenticare che, noi che abbiamo deciso di continuare l’attacco, ci esponiamo ad un rischio costante. Ma non siamo vittime passive di circostanze né meri spettatori.

Proprio come Santiago, un persona completamente coerente con i suoi sentimenti anarchici, scomparso da 1° agosto, quando fu sequestrato dalla Gendarmería (forza intermedia tra polizia e l’esercito), mentre attivamente sosteneva la lotta Mapuche a Cushamen, nella provincia di Chubut, nel sud di Argentina, vicino al confine cileno.

E’ trascorso già un mese e Lechuga non è apparso. E anche se Santiago è insieme a tutti noi che non dimentichiamo o abbandoniamo la lotta quotidiana, la sua presenza fisica è assente.

Lo riporteremo indietro, attaccando continuamente, moltiplicando i suoi gesti e le sue azioni attraverso tutto il pianeta, contro i miserabili responsabili della sua scomparsa.

Dal carcere, oggi, la mia chiamata è di approfondire l’attacco contro l’amnesia e la paura. Perché quelli che dicono di credere in anarchia devono agire in accordo con questa convinzione.

A centinaia di prigionieri rivoluzionari nel mondo uniti da convinzioni simili, siamo l’espressione vivente di una lotta senza nazioni e senza frontiere che cerca la distruzione totale di tutte le catene, gabbie e prigioni, in cui vive la maggior parte di persone su questo pianeta.

Questi sono tempi battaglia, non possiamo nascondere l’ovvio.

Il fuoco ribelle e ancestrale sta incenerendo le macchine del capitale rapace, il sangue insurrezionale versato dai nostri compagni caduti è tra i nostri rituali di guerra, le nostre cospirazioni silenziose cercano l’unica giustizia possibile: la vendetta diventa urgente e necessaria.

PER SANTIAGO E TUTTI I COMPAGNI CHE SONO MORTI: NEANCHE UN SINGOLO MINUTO DI SILENZIO, MA UN’INTERA VITA DI LOTTA!!!

SOLIDARIETÀ E FRATELLANZA SOLIDALE PER LA DISTRUZIONE DI TUTTE LE PRIGIONI!!!

FINO ALLA DISTRUZIONE DELL’ULTIMO BASTIONE DELLA SOCIETÀ CARCERARIA!!!

Marcelo Villarroel Sepúlveda, prigioniero anarchico.

Carcere di alta sicurezza.

Santiago, Cile.

30 agosto 2017.”

via CONTRAINFO

Letter from anarchist prisoner Marcelo Villarroel Sepúlveda

This is a letter from the anarchist prisoner Marcelo Villarroel Sepúlveda concerning the case of the anarchist comrade Santiago Maldonado who is still missing. It also has a call for action. His words are welcome by us!!! Fire to the prisons!!! We want our comrade Santiago Maldonado alive now!!!

tormentas de fogo

“STRUGGLE AGAINST ALL JAILS, AMNESIA AND COWARD PASSIVITY!!!

https://i.pinimg.com/564x/bf/a4/59/bfa45916744bd46e584e37ece7cb27f6.jpg

These words are born and become necessary at the same time when it is necessary to embrace all those who give themselves without limits when seeking encounter with total liberation.

For the expansion of the revolt, for the unequivocal confrontation with power, for the extension of autonomous practices to deny domination and everything that makes possible its existence.

As I write, hatred and anger guide me… While each person realizes his life, there is a dear friend missing…

SANTIAGO MALDONADO – el “Lechu”, el “Brujo”, disappeared.
And I can not stay silent or ignore his physical absence.

Since we had to live prison in the region dominated by the Argentine state, our steps crossed. There were us, the prisioners in the province of Newken and there was Santiago, in the city of La Plata, next to a universe of active comrades, sharing complicity and standing in solidarity…

It’s been more than 9 years since our footsteps have crossed the continuous path of the brotherhood, this path that sets both of us on the same side of the trench.

Because we have to say clearly: We are at war against oppression and misery! Against all the police, states, countries and cowards that accommodate their speeches and lives to make it harmless and integrated.

There is no way to forget that we who have decided to continue the offensive take permanent risk. We are not passive victims of circumstance nor mere spectators.

Just like Santiago, a person in complete coherence with his anarchic feelings, who is missing since August 1st, when he was kidnapped by the Gendarmería (intermediate force between the Police and the Army), while actively supporting the Mapuche struggle in Cushamen, province of Chubut, in the south of Argentina and near the Chilean border.

It’s been a month already and Lechuga did not show up. And although Santiago is among all of us who do not forget or abandon the daily struggle, his physical presence is lacking.

We will bring him back by striking blow by blow, multiplying his gestures and actions throughout the planet against the miserable ones responsible for his disappearance.

From prison, today, my call is to deepen the attack against amnesia and fear. Because those who say they believe in anarchy must act in accordance with this conviction.

Hundreds of revolutionary prisoners around the world united by similar convictions, we are the living expression of a struggle with no nations and no borders that seeks the total destruction of all the chains, cages and prisons where most of the people on this planet are living.

These are times of combat, we can not hide the obvious.

The rebellious and ancestral fire is incinerating the machines of predatory capital, the insurrectionist blood spilled from our fallen comrades is among our war rituals, our silent conspiracies seek the only possible justice: vengeance becomes urgent and necessary.

FOR SANTIAGO AND ALL COMRADES THAT DIED: NOT ONE SINGLE MINUTE OF SILENCE BUT A WHOLE LIFE OF STRUGGLE!!!

INTERNATIONAL SOLIDARITY AND FRATERNITY FOR THE DESTRUCTION OF ALL PRISONS!!!

UNTIL THE DESTRUCTION OF THE LAST BULWARK OF THE PRISON SYSTEM-SOCIETY!!!

AS THERE IS MISERY, THERE WILL BE REBELLION!!!

Marcelo Villarroel Sepúlveda, anarchist prisoner.

High security level prison.

Santiago, Chile.

August 30, 2017.

via CONTRAINFO

Comunicado do anarquista Marcelo Villarroel Sepúlveda

Essa é uma carta do prisioneiro anarquista Marcelo Villarroel Sepúlveda acerca do caso do anarquista Santiago Maldonado que ainda se encontra desaparecido. É também um chamado para ação. Suas palavras são bem-vindas compa!!! Fogo nas cadeias!!! Nós queremos nosso compa Santiago Maldonado vivo agora!!!

tormentas de fogo

EM LUTA CONSTANTE CONTRA TODAS AS JAULAS, A AMNÉSIA E A COVARDE PASSIVIDADE!!!

https://i.pinimg.com/564x/bf/a4/59/bfa45916744bd46e584e37ece7cb27f6.jpg

Estas palavras nascem e se tornam necessárias quando é preciso abraçar a todxs que se entregam sem limites ao buscar encontro com a libertação total.

Pela expansão da revolta, pela inequívoca confrontação com o poder, pela extensão das práticas autônomas da negação da dominação e tudo o que torna possível sua existência.

Enquanto escrevo, ódio e raiva me guiam… Enquanto cada qual percebe sua vida, existe uma queridx compa que nos falta…

SANTIAGO MALDONADO, o “Lechu”, o “Brujo”, desapareceu.
E não posso ficar em silêncio ou ignorar sua ausência física.

Desde que tivemos de viver a prisão na região dominada pelo Estado argentino, nossos passos se cruzaram. Nxs presxs, na província de Newken e Santiago, acenando na cidade de La Plata, ao lado de um universo de ativxs companheirxs, solidarixs e cúmplices…

Já se passaram mais de 9 anos desde que nossos passos se cruzaram no  contínuo caminho da irmandade, este caminho que nos coloca ambxs no mesmo lado da trincheira.

Porque há que dizer claramente: Estamos em guerra contra a opressão e a miséria! Contra toda a polícia, Estados, países e os covardes que acomodam seus discursos para torná-las inofensivas e integradas.

Não há como esquecer nunca que nós que decidimos continuar a ofensiva, assumimos o risco permanente. Não somos vítimas passivas das circunstâncias nem merxs espectadorxs.

É assim como Santiago, em completa coerência com seu sentimento anárquico, foi desaparecido desde 1 de agosto pela Gendarmería (força intermediária entre a Polícia e o Exército), enquanto solidarizava ativamente com a luta Mapuche em Cushamen, província de Chubut, ao sul da Argentina e próxima à fronteira com o Chile.

Já faz um mês e Lechuga não aparece. E embora Santiago esteja entre todxs nós que não esquecemos nem abandonamos a luta diária, a sua presença física nos falta.

Nós o traremos de volta revidando golpe por golpe, multiplicando seus gestos e atos em todo o planeta e contra os miseráveis responsáveis por não o podermos abraçar.

Da prisão, hoje, meu chamado é para aprofundar o ataque contra a amnésia e o medo. Porque quem diz creer em anarquia deve agir com concordância à dita convicção.

Centenas de prisioneirxs revolucionárixs ao redor do mundo unidxs por convicções semelhantes, somos a expressão viva de uma luta sem pátrias e sem fronteiras que busca a destruição total de todas as cadeias, gaiolas e cárceres onde vivem grande parte da gente desse planeta.

São tempos de combate, não podemos ocultar o evidente.

O fogo rebelde e ancestral está incinerando as máquinas do capital predatório, o sangue insurrecto derramado de nossos compas que caíram acompanham nossos rituais de guerra, nossas silenciosas conspirações buscam a única justiça possível: a vingança se faz urgente e necessária.

POR SANTIAGO E TODXS XS NOSSXS QUE CAÍRAM: NEM UM MINUTO DE SILÊNCIO E TODA UMA VIDA DE COMBATE!!!

SOLIDARIEDADE E FRATERNIDADE INTERNACIONAL PELA DEMOLIÇÃO DE TODAS AS PRISÕES!!!

ATÉ A DESTRUIÇÃO DO ÚLTIMO BASTIÃO DA SOCIEDADE CARCERÁRIA!!!

ENQUANTO EXISTIR MISÉRIA, HAVERÁ REBELIÃO!!!

Marcelo Villarroel Sepúlveda, prisionero libertário.

Presídio de segurança máxima.

Santiago, Chile.

30 agosto 2017.

via CONTRAINFO

La Paz, Bolivia: Attack with incendiary device against the Argentinian embassy

Sometimes action speak for itself