CHILE: ATUALIZAÇÕES SOBRE O “CASO SECURITY”

via CONTRAINFO

tradução tormentas de fogo

21/06/2018 – Sobre a situação do compa Marcelo

Marcelo Villarroel Sepúlveda, é um combatente subversivo e atual preso político, que sempre esteve na linha de frente de diferentes momentos da luta de classes no Chile, desde o fascista Pinochet até seus continuadores que agora administram o grande capital, fato que o levou a estar quase metade de sua vida atrás das grades.

De muito “moleque”, e como muitos outros jovens populares, ele se juntou ao Movimento Jovem Lautaro nos combates contra a ditadura, recuperando comida e outros suprimentos para a população, fazendo propaganda armada e golpeando os símbolos de poder daqueles anos, cujo complexo grupo político MAPU-LAUTARO definiu como: “Guerra Insurrecional de Massas”

Depois de viver a repressão nas prisões de Pinochet, como outrxs lutadorxs, ele decidiu não engolir a história da transição acordada, entendendo que o fim da ditadura militar foi a continuidade da ditadura do grande capital, então ele não parou de lutar contra a opressão. Assim sendo ele cai preso em 1992, cumprindo prisão por 11 longos anos.

Uma vez detido na “democracia”, e depois de ser afastado do MAPU-LAUTARO por assumir uma posição libertária, Marcelo juntamente com outrxs compas fundou o coletivo “Kamina Libre”, realizando várias atividades anti-prisões e anti-autoritárias em diferentes partes.

Em 2007, Marcelo e outros compas são acusados de autoria de algumas recuperações bancárias em que um policial é morto, razão pela qual uma imensa operação repressiva está sendo realizada no Chile e na Argentina, resultando na prisão de várias pessoas.

Apesar de estar perto de cumprir o prazo para começar a solicitar os benefícios penitenciários por sua última condenação, o Estado pede a Marcelo mais de 40 anos de prisão da vergonhosa justiça militar por ações dos anos 90, evidenciando a clara intenção.de mantê-lo encarcerado por toda a vida, por causa de sua audácia de nunca ter sido domesticado pelas leis da injustiça e do capital.

LIBERDADE PARA O COMPA MARCELO VILLAROEL SEPÚLVEDA!
ENQUANTO HOUVER MISÉRIA, HAVERÁ REBELIÃO!

20/06/2018 – O COMPA FREDDY SAI DA PRISÃO!

Comunicado dos prisioneiros subversivos Juan Aliste Vega e Marcelo Villarroel Sepúlveda:

À quem combate contra o estado, a cadeia e o capital em todo o mundo.

– Para os nossos compas e irmãos lutadores.
– Para todas as pessoas que nos acompanharam nestes 10 anos de resistência ao encarceramento.
– Aos Núcleos, grupos, organizações e indivíduos subversivos e libertários autônomos.
– Para nossas famílias.

Ontem, segunda-feira, 18 de junho de 2018, nosso irmão, amigo e companheiro Freddy Fuentevilla Saa deixou a prisão de segurança máxima em Santiago do Chile depois de 10 anos e quase 3 meses de confinamento ininterrupto, sob o que a justiça do poder denomina por “liberdade condicional”.

Relatar este longo trajeto, seus avatares, cada momento no cativeiro é difícil nestas cartas carregadas de sentimentos encontrados onde hoje domina a imensa alegria de ver um dos nosso caminhando parafora destes muros, reencontrando-se com seus amores e carinhos que alimentam o coração indomável de todxs xs que não renunciam nem se curvam diante do tempo horrendo do cativeiro.

A inexorável passagem do tempo hoje nos dá uma mão permitindo que que nosso compa novamente olhe para o céu sem barras de ferro, saindo desses espaços estreitos de cimento e metal penitenciário que não foram capazes de acabar com nossa férrea convicção insurrecta.

Em cada passo dado, com a aprendizagem constante e a vontade intacta continuamos irmanados com todxs que se rebelam perante um mundo doente que somente nos oferece uma vida descartável, cimentada com os valores mais pútridos que poderíamos ter imaginado e que estão anunciando o desaparecimento da vida caso nós não nos opormos através da resistência multiforme persistente.

O mundo do poder, da autoridade e das hierarquias, do nazifascismo em todas as suas variantes e cores, a pretensão de controle total e a ideologia que o justifica continuam a ser destinatários da nossa eterna raiva ancestral e por isso insistimos na continuidade da luta mais além das grades e das paredes onde hoje ainda seguimos em punho alto.

Nossas batalhas atuais são urgentes!

Redobrar os esforços para superar a indiferença dos carcereiros com a qual neste momento tratam a situação médica de Juan é urgente.

Da mesma forma, a situação jurídica de Marcelo, que deve cumprir 10.123 dias de prisão de acordo com as condenações provenientes dos ministérios militares da década de 90, é uma aberração.

A prisão é vivida dentro e fora das paredes perimetrais… em nenhum caso o nosso irmão está livre, hoje só pode caminhar através das ruas com medidas severas de controle como assinatura semanal e restrições de deslocamento regional, além do inevitável controle policial.

Um passo mais perto dos seus, um momento necessário para recuperar o oxigênio depois de tantos anos atrás das grades.

Nós abraçamos com firmeza e cumplicidade subversiva todxs xs presxs dignxs que não se rendem nas cadeias do Chile, Argentina, Brasil, Peru, Colômbia, México, EUA, Itália, Espanha, Grécia, Rússia, Ucrânia e em todos os rincões do planeta onde se luta de forma autônoma e horizontal, buscando a libertação total dos povos, indivíduos e comunidades.

Com carinho e fraternidade aos perseguidos que caminham zombando da lei…

SOLIDARIEDADE E FRATERNIDADE INTERNACIONALISTA PELA DEMOLIÇÃO DAS PRISÕES!!!

CONTRA O ESTADO, O CÁRCERE E O CAPITAL: GUERRA SOCIAL!!!

ENQUANTO HOUVER MISÉRIA, HAVERÁ REBELIÃO!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.